segunda-feira, 24 de julho de 2017

Qual é a sua vibe?

O covarde nunca tenta, o fracassado nunca termina e o vencedor nunca desiste.
                                  (Norman Vicent Peale)

Conjunto dos Mercedários vai ter cara nova

Corre a informação de que um empresário está querendo investir no histórico prédio dos Mercedários, no centro comercial de Belém.
A ideia é a instalação de um hotel.
Todavia, como Belém anda tão pobre de atrações, a prefeitura quer arriscar num empreendimento inédito na cidade, com atrativo turístico.
Creio que seria interessante algo no estilo do Mercado Municipal de São Paulo, onde poderíamos ter restaurantes, atrativos culturais e exposições artísticas diversas, integrando-se ao saturado e (hoje) sujo  complexo do Ver-o-Peso.
A Prefeitura de Belém já está cuidando de desocupar o espaço, que pertence ao SPU.

Sou professor. Eu me importo com você!


Sou eu, Mirivaldo.
Sou Professor! 
 

Sou aquele que lhe pede pra desligar o celular, virar pra frente; que exige que pegue o caderno, que entre na sala quando você acha que ainda está no recreio/intervalo; que faz com que se sinta cansado, que faz você escrever, que lhe dá tarefas e se irrita quando não as faz; que lhe chama a atenção, repete mil vezes as mesmas coisas.
Serei chato quantas vezes for preciso, e sabe por quê? Porque me preocupo com você, com seu futuro, quero que aprenda e seja um Ser Humano de bem. Quando puder compreender isto, já não estarei ao seu lado, mas espero que se lembre de que um dia me importei com você , que convivemos e que tentei ensinar-lhe mais do que a matéria!!!

https://www.facebook.com/mirivaldo.carneirorios/posts/1570891166306409

domingo, 23 de julho de 2017

Remo tem boa média de público, mas poderia ser melhor

Com 7.385, o Remo tem a terceira média de público de toda a Série C, no Brasil.
Embora seja um número considerável, mas há de se ressaltar que a torcida está indo ao Mangueirão, porém, ao que parece, o Remo é que ainda não entrou em campo.

Torcida ausente

A torcida do Paysandu anda afastada dos estádios. A diretoria do clube e os atletas sempre chamam a torcida para invadir a arquibancada, mas os números do torcedor bicolor é um dos mais baixos dos últimos tempos.
A média de público alvi-azul é de 5.134 torcedores por jogo em que o Papão foi mandante, aqui em Belém.

Gol ao vivo pela TV: minuto de fama

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Google transforma aplicativo de buscas em feed de interesses pessoais

O Google vai transformar o aplicativo de buscas em um feed de interesses pessoais, que passará a exibir notícias, vídeos e alertas de que algum assunto relevante ou popular está pipocando em algum local próximo ao usuário ou no mundo.
A novidade chegou nesta quarta-feira (19) ao app para os sistemas iOS, da Apple, e para Android, de usuários dos Estados Unidos.
A função estreará em outros países, como o Brasil, dentro de duas semanas.

Não precisa pesquisar

Com a nova configuração do app, não será preciso fazer nenhuma busca na internet para receber conteúdos por meio do app do Google. Abaixo da caixa de texto em que as pesquisas são feitas, surgirão uma série de cartões assim que a página for rolada para baixo. Cada um desses blocos exibirá um tema relacionado a algum interesse do usuário.
“Se você é um entusiasta da fotografia mas apenas casualmente interessado em fitness, seu Feed irá mostrar isso”, afirmou Shashi Thakur, vice-presidente de Engenharia do Googel.
“Você gastará menos tempo e energia tentando se manter atualizado com sus interesses e mais tempo curtindo e os cultivando. Seja você um amante de animais, leitor de Nietzsche, fanático por esportes, só pensa em Hip Hop, um mestre cervejeiros em desenvolvimento, ou qualquer coisa entre nisso, seu Feed deve se encaixar na sua fantasia”, diz Thakur.
O Google já havia adotado o Feed em dezembro, mas apenas para exibir avisos baseadas na interação do usuário com os serviços do Google –por exemplo: apareciam lembretes de compromissos, tirados do Calendário, e os horários de voos agendados. Ao adotar a exibição de lista de conteúdos, o Google se aproxima de redes sociais como Facebook e Twitter.

Seguir

Para aprimorar o Feed do Google, que será individualizado para cada usuário, será possível seguir tópicos de interesse. Assim, assuntos sobre aquele tema aparecerão com maior frequência no Feed. Isso poderá ser feito, por exemplo, com filmes, times de vários esportes, bandas, cantos e celebridades.

Fake news

Será possível obter informação a partir dos cartões mostrados no Feed. Bastará clicar neles. Ao clicar em um bloco que fale sobre uma exposição de um museu, o Google exibirá o endereço, formas de chegar até lá e os horários em que o lugar está aberto. 

Fonte: http://g1.globo.com
 

terça-feira, 18 de julho de 2017

Física Quântica: 7 coisas que afetam a sua Frequência Vibracional.

Vibração na física quântica significa que tudo é energia.
Somos seres vibracionais. Cada vibração equivale a um sentimento e no mundo “vibracional”, existem apenas duas espécies de vibrações, a positiva e a negativa. Qualquer sentimento faz com que você emita uma vibração que pode ser positiva ou negativa.
1ª – *Os Pensamentos*.
Todo pensamento que você possui emite uma frequência para o Universo e essa frequência retorna para a origem, no caso, você! Então se você tem pensamentos negativos, de desânimo, tristeza, raiva, medo, isso tudo vai voltar para você. Por isso é tão importante que você cuide da qualidade dos seus pensamentos e aprenda a cultivar pensamentos mais positivos.

2ª – *As Companhias*.
As pessoas que estão a sua volta influenciam diretamente na sua frequência vibracional. Se você está ao lado de pessoas alegres, determinadas, você também entrará nessa vibração, agora se você se cerca de pessoas reclamonas, fofoqueiras e pessimistas, tome cuidado! Pois elas podem estar diminuindo a sua frequência e como consequência te impedindo de fazer a lei da atração funcionar a seu favor.

3ª – *As Músicas*.
Músicas são poderosíssimas. Se você só escuta músicas que falam de morte, traição, tristeza, abandono, isso tudo vai interferir naquilo que você vibra. Preste atenção na letra das músicas que você escuta, elas podem estar diminuindo a sua frequência vibracional. E lembre-se: você atrai para sua vida exatamente aquilo que você vibra.

4ª – *Coisas que você Assiste*.
Quando você assiste programas que abordam desgraças, mortes, traições, etc. seu cérebro  aceita aquilo como uma realidade e libera toda uma química no seu corpo, fazendo com que sua frequência vibracional seja afetada. Assista coisas que te façam bem e te ajudem a vibrar numa frequência mais elevada.                                                

5ª – *O Ambiente*.
Seja na sua casa ou no seu trabalho, se você passa grande parte do tempo num ambiente desorganizado, sujo, feio, isso também afetará a sua frequência. Melhore o que está a sua volta, organize e limpe o seu ambiente. Mostre ao Universo que você está apto a receber muito mais. Cuide do que você já tem!

6ª – *A Fala*.
Se você reclama ou fala mal das coisas e das pessoas, isso afeta a sua frequência vibracional. Para você manter a sua frequência elevada é fundamental que você elimine o hábito de reclamar e de falar mal dos outros. Então evite fazer dramas e se vitimizar. Assuma a Responsabilidade pelas Escolhas da sua Vida!

7ª – *A Gratidão*.
A Gratidão afeta positivamente a sua frequência vibracional, esse é um hábito que você deveria incorporar agora mesmo na sua vida. Comece a agradecer por tudo, pelas coisas boas e ruins, por todas as  experiências que você já vivenciou. A gratidão abre as portas para que as coisas boas fluam positivamente na sua vida. Você já agradeceu hoje?" (Autor Desconhecido)

Desejo que você tenha uma ótima semana, com  excelentes vibrações!!!

domingo, 16 de julho de 2017

A FORÇA ELEITORAL DE BOLSONARO

                                          Filipe G. Martin

Como vocês sabem, a grande mídia raramente dá qualquer espaço ao Deputado Jair Bolsonaro e, quando o faz, sempre o apresenta da maneira mais negativa possível.

Não é exagero dizer que o grande público só o conhece através de um filtro que distorce a sua imagem, demoniza a sua personalidade e, é claro, omite todas as suas qualidades e virtudes.

De algum modo, o reflexo disso pode ser visto nas pesquisas eleitorais. Podemos ficar impressionados ao constatar que o candidato que representa tudo o que as classes falantes repudiam tem 21% das intenções de voto, mas isso é pouco perto do que ele teria se nossos jornalistas não empreendessem uma verdadeira guerra contra ele e contra o que ele representa.

Na Globo, na Folha de São Paulo e no Estadão, quem quer que pense como o Deputado Jair Bolsonaro – ou seja, a quase totalidade do eleitorado nacional – é considerado um extremista de direita, indigno de ser ouvido e merecedor de todos os ataques.

Esse é, aliás, um dos motivos pelos quais a democracia brasileira foi reduzida à já costumeira disputa em família entre candidatos de esquerda, na qual tudo o que é concedido ao povo brasileiro é o direito de votar, de quatro em quatro anos, em candidatos que representam o contrário de tudo aquilo em que ele acredita.

É por isso, também, que sempre digo que o maior problema brasileiro, junto com o democídio causado pelas políticas de segurança pública dos últimos 20 anos, é a crise de representatividade.

Nunca houve uma situação em que o abismo entre as elites e a realidade da vida popular fosse tão profundo. Qualquer político, jornalista ou intelectual que ouse, mesmo que de modo tímido, dar voz aos valores, às crenças e aos anseios populares acaba sendo classificado como uma figura excêntrica, quando não como um inimigo de tudo o que há de bom e virtuoso no mundo.

Apesar disso, a maioria absoluta das pessoas que vivem no Brasil é conservadora, cristã, tem valores tradicionais e preza pela ordem. Por isso mesmo, sempre esteve desprovida de uma verdadeira representação política e sempre foi marginalizada e excluída do espaço público.

Mas isso está começando a mudar e, gradualmente, as pessoas vão se dando conta disso — e aqui volto às pesquisas.

Ao analisarmos a divisão demográfica das intenções de votos, três dados referentes ao eleitorado do Deputado Jair Bolsonaro saltam aos olhos: (1) quanto maior a renda de uma pessoa, maior sua propensão a votar nele; (2) do mesmo modo, quanto maior o seu nível de instrução, maior sua propensão a votar nele; (3) quanto mais jovem, independentemente da renda e do nível educacional, maior é a sua identificação com ele.

Isso causa um certo estranhamento, não? Afinal, é natural esperar que o apelo eleitoral do Deputado Jair Bolsonaro seja ainda maior entre as camadas populares do que entre os grupos que ele já conquistou — ele pensa, fala e age como um brasileiro médio; ele pensa, fala e age de um modo que qualquer pessoa simples pode compreender e se identificar; e, além disso, ele oferece a perspectiva de que esse eleitorado finalmente encontre uma representação política efetiva.

Portanto, ao olhar para esses dados, uma hipótese se impõe: a explicação para a atual composição do eleitorado do Deputado Jair Bolsonaro está na forma e nos meios utilizados pelos eleitores para obter suas informações. Aqueles que se informam pela internet (jovens, pessoas mais instruídas e com renda maior) conhecem um Bolsonaro ainda inacessível àqueles que se informam pela grande mídia, sobretudo pela televisão, e que só o conhecem — quando conhecem — através do filtro da imprensa, aquele mesmo que distorce sua imagem, demoniza sua personalidade e omite todas as suas qualidades e virtudes.

Se essa hipótese se confirmar e a candidatura do deputado não for barrada pelo ativismo judicial dos ministros do STF, veremos que ele tem muito espaço para crescer e que, através de uma campanha que permita furar o filtro da grande mídia, ele certamente poderá chegar ao segundo turno com chances reais de vitória. Mas, seja qual for o desfecho, ele já é uma força política e eleitoral que não pode ser ignorada e que provavelmente mudará o cenário político brasileiro para sempre. Reconhecer isso não é torcida, é abrir os olhos para um dado objetivo da realidade e perceber para onde as coisas estão se encaminhando. O que fazer com esse dado fica a critério de cada um.

Falar é fácil. Na hora do perigo, a coisa pega!

sábado, 8 de julho de 2017

A carta que Luciano Huck escreveu para Tia Socorro, após a sua morte

Maria do Socorro Rodrigues Pereira, nasceu no interior do Pará, numa colônia de hansenianos – portadores de hanseníase, doença também conhecida como Lepra. Seus pais eram portadores da doença e morreram quando ela tinha 2 anos. Como também tinha a doença, foi levada para um abrigo de crianças e adolescentes com hanseníase em Marituba (PA) – um leprosário -, onde ficou isolada por boa parte da infância e da adolescência.

Aos 16 anos, Socorro foi dada em casamento para um homem mais velho, filho da cozinheira do abrigo. Ela se mudou a Belém, capital do Estado, para viver com o marido. Após seis meses de casada, sofrendo maus tratos, decidiu fugir de casa – e ir morar na rua. Em quase 3 anos morando na rua, sofreu tudo o que podia; foi violentada, humilhada, comeu comida do lixo...resistiu ao tráfico e a prostituição.

Nessa época, prometeu a si mesma que, quando conseguisse sair dessa vida, independentemente de ter ou não dinheiro, iria montar uma casa para que outras crianças e adolescentes como ela tivessem um futuro diferente.

A primeira iniciativa foi fundar uma escola de 1º grau, em Ananindeua (PA) e uma creche. As mães abandonavam as crianças na creche, em especial aquelas com deficiência, e Socorro passou a levá-las para casa. Nascia assim, o Lar Acolhedor Tia Socorro.

Conheci Tia Socorro nos bastidores dos Estúdios Globo, qdo produzimos o "Especial Inspiração", programa que apresentei no começo deste ano, a ideia foi homenagear brasileiros com histórias inspiradoras e que estivessem transformando o mundo a sua volta. Ela foi uma das homenageadas, indicada pela Unicef, que a anos já acompanhava seu trabalho.

Foi amor a primeira vista.

Com sua simplicidade, sabedoria popular e força compartilhou no palco seus 2 sonhos ainda não realizados; que eu e Padre Fabio de Melo chegássemos a sua casa de helicóptero e que ela queria simplesmente ver o Papa Francisco, mesmo que fosse de longe. ;)

Missão dada, missão cumprida.

Meses depois deste encontro, partimos eu e Padre Fabio a Mosqueiro, no Pará, e de lá para o Vaticano.

Esta parte da história não vou detalhar, pq esta gravada e algum dia vcs irão assistir.

Vou me ater ao que impacto que teve em minha vida, estes 5 dias ao lado de Tia Socorro na busca pelo Papa.

Vi e vivi lindas histórias pelo Brasil ao longo destes quase 18 anos de Caldeirão, a grande maioria tive o privilégio de compartilhar com vcs pela tv, mas tem coisas que a tv não consegue mostrar com clareza, como por exemplo; o impacto que q vida destas pessoas tem sobre mim.

Sou um ser em transformação constante, inquieto na busca pela minha evolução, uma pessoa sem medo de mudar de ideia, sem medo de rever valores; tudo isso em função dos exemplos altruístas que tenho visto e documentado.

E Tia Socorro foi o maior de todos eles até aqui.

Uma mulher que veio ao mundo para amar ao próximo; nao importando quem fosse, de onde viesse ou suas necessidades.

Uma mulher que acolheu mais de 300 criancas e jovens em seu lar acolhedor.

Uma mulher que dividia o pouco que tinha, mesmo que na sua parte sobrasse o nada, para dar aos filhos daqueles que so foram capazes de dar violência e intolerância.

Uma mulher de Deus.

Tia Socorro se foi ontem a noite, vítima de um mal súbito.

Estou muito, muito triste. Sinto como se tivesse perdido alguém de minha família. E perdi. Nosso encontro foi tão forte e poderoso, que transcendeu os limites da amizade.

Sua história será lembrada, e seu trabalho terá continuidade.

Vida longa ao "Lar Acolhedor Tia Socorro".
Agora, mais do que nunca.

Vá em paz minha querida e amada amiga.

Luciano Huck

quinta-feira, 6 de julho de 2017

PRF anuncia suspensão de serviços e viaturas só irão sair em casos de em...

Para o ladrão, não há dispositivo de segurança perfeito

O Papa que tirou uma de pároco

Você já imaginou estar em casa, em uma tarde qualquer, toca o porteiro-eletrônico, você pergunta quem é e responde:
"Sou o Pontifice"?
Pois foi o que aconteceu numa tarde de sexta-feira, em Óstia, periferia de Roma, onde um "pároco vestido de branco" caminhava pelas ruas, tocando nas casas para abençoá-las.
De fato, o Papa Francisco saiu na tarde da sexta-feira do Vaticano e foi até a periferia como sinal de proximidade às famílias residentes na região, entrando e concedendo a sua bênção para as famílias e as casas, como costumam fazer os sacerdotes a cada ano durante o período pascal.
O Pontífice quis assim, também no mês de maio, dar continuidade à iniciativa "Sextas-feiras da Misericórdia" inspirada nas obras de misericórdia corporais e espirituais realizadas pelo Papa durante o Jubileu.
A Sala de Imprensa da Santa Sé comunicou que há dois dias o Padre Plinio Poncina, Pároco de Stella Maris - uma das seis Paróquias de Óstia - havia fixado - como de costume - um aviso na porta do condomínio de casas populares, advertindo as famílias de que passaria para conceder a bênção pascal.
Foi tão grande a surpresa hoje quando, ao tocar a campainha, ao invés do pároco, apresentou-se o Papa Francisco.
Assim, o Papa "tornou-se um Pároco" nesta sexta-feira. Com grande simplicidade esteve com as famílias, abençoou cerca de doze apartamentos que formam o Condomínio de Piazza Francisco Conteduca 11, deixando como recordação um terço.
Brincando, desculpou-se pela incomodação, garantindo porém ter respeitado o horário de silêncio do condomínio, descansando após o almoço, como diz o cartaz afixado na entrada do condomínio.
Mesmo pertencendo ao território de Roma, Óstia - com seus 100 mil habitantes - constitui um núcleo habitacional importante, acolhendo uma viva comunidade de fiéis, que convive com realidades difíceis, ligadas à vida de periferia.